27 de outubro de 2011

Eu não vou fazer Direito

Cresci num meio onde indiretamente as pessoas desacreditaram em mim.
Sou completamente amor, do início ao fim.
Logo, se não faço o que amo, não faço nada. E há dias esse sentimento de inutilidade vem tomando meu peito, me fazendo ter dores de cabeça e perceber que não tenho tantos motivos pra sorrir assim.

Ah, vida.
O seu problema, o maior de todos, é que se a gente escolhe o amor a gente escolhe o mais difícil. Por isso desconfia-se dos fáceis, dos à vista.
Porque amor é assim; entrelinha.
E eu tenho que entender que aspirinas não substituem entrelinhas.

Ah, vida.
Não queria desgostar e ter vontade de desistir de você assim, tantas vezes.
Mas espero que você entenda e goste de quem tenta.
Tanto tento que espero o tempo assumir a culpa.


(de eu querer ser feliz)

Um comentário:

nofinodofio disse...

amar, sim; proteger-se, também.

Postar um comentário

Ahá.